Ensemble Darcos

biografias


ENSEMBLE DARCOS

O Ensemble Darcos foi criado em 2002, na cidade de Faro, pelo compositor e maestro Nuno Côrte-Real. Na sua formação base, violoncelo, piano, violino e clarinete, conta com os músicos Filipe Quaresma, Helder Marques, Reyes Gallardo e Fausto Corneo. O repertório do Ensemble tem como propósito a interpretação dos grandes compositores europeus de música de câmara, como Beethoven, Brahms ou Debussy, e a música de Nuno Côrte-Real; esta relação confere-lhe contornos de projeto de autor. O Ensemble tem, no entanto, interpretado e encomendado obras a outros compositores portugueses, tais como Carrapatoso, Pinho Vargas, Victorino D’Almeida ou Azevedo. Em termos instrumentais, o Ensemble Darcos varia a sua formação consoante o programa que apresenta, de duos a quintetos, até à típica formação novecentista de 15 músicos. Para o efeito convida regularmente músicos de excelência oriundos de várias regiões do globo, destacando-se, entre outros, os violinistas Giulio Plotino (concertino da orquestra do Teatro La Fenice em Veneza), Giulio Rovighi (primeiro violino do quarteto de cordas italiano Prometeo), ou o aclamado percussionista Miquel Bernat. Outros músicos convidados incluem o pianista João Paulo Santos ou o violinista chinês Xuan Du.

Desde 2006 que o Ensemble Darcos efetua uma residência artística no concelho de Torres Vedras, tendo iniciado em 2008 a TEMPORADA DARCOS, série de concertos de música de câmara comentados pelos mais pertinentes músicos e musicólogos portugueses da atualidade, tais como Rui Vieira Nery, António Pinho Vargas, Alexandre Delgado, Sérgio Azevedo ou António Victorino D’Almeida. Da sua atividade concertística, destacam-se os concertos na sala Magnus em Berlim, em Outubro de 2007, onde interpretou obras de Sérgio Azevedo, António Pinho Vargas e Nuno Côrte-Real, na estreia de um vídeo de Rui Gato, Margarida Moura Guedes e Ricardo Viana, sobre a obra de Olivier Messiaen Quarteto Para o Fim dos Tempos, em 2008, e com o quinteto de cordas em Dó maior de Franz Schubert, com a participação do conceituado violoncelista sueco Mats Lidström. O Ensemble Darcos participou n’Os Dias da Música 2008, no Centro Cultural de Belém, interpretando obras de Beethoven e Côrte-Real.

Recentemente o Ensemble Darcos interpretou uma série de canções de Cole Porter com os cantores Sónia Alcobaça e Rui Baeta, programa também apresentado em Lyon conjuntamente com a Camerata du Rhone (Orquestra de Cordas sediada em Lyon). Projetos futuros incluem concertos com as conceituadas cantoras portuguesas Dora Rodrigues e Lara Martins, e um concerto encenado pela original encenadora Maria Emília Correia.





REYES GALLARDO
violino / viola


Obteve o título superior de violino no Conservatório Superior de Música de A Coruña, onde estudou com, entre outros, Laura Quintillán, Eduardo Sánchez-Zúber, Massimo Spadano. Na Holanda estuda com Chris Duindam, Johan Kracht e Misha Furman finalizando a licenciatura de violino no Conservatório de Roterdão. É admitida no Swelink Conservatorium (Amesterdão) para realizar uma pós-graduação com o professor Kees Koelmans.

Tem realizado diversas masterclasses tanto em violino como em música de câmara, das quais se podem destacar com Nelly Skolnikova, Eeva Koskinen, Ruben Fernández, Ch. A. Linale, Kioko Hashimoto e Daniel Quartet. Também participou em diversos cursos de verão como o Festival di Musica Fedele Fenaroli, em Lanciano (Itália), em Santander organizado pela Escuela Reina Sofia e em Vilanova i la Geltrú.

Durante os anos académicos tocou em várias formações de música de câmara, destacando-se as que integrou durante o período em que formou parte da escola da Orquestra Sinfónica da Galiza, e o quarteto com o qual estudou com os membros do Daniel Quartet. Fundou o Trio Bresna com o qual tocou em diversas cidades galegas, o duo de violino e piano com a pianista Elisa Vázquez apresentando-se na Holanda e em Espanha, e o Ensemble Douro que formou em Portugal no ano de 2004. Como instrumentista de orquestra possui uma larga experiência, tocando regularmente com a Orquestra Sinfónica da Galiza, com Concerto Rotterdam (orquestra de câmara da Rotterdam Philarmonisch), Milano Clássica, Rotterdam Young Philarmonisch, OrchestrUtopica e Orquestra Gulbenkian. Entre Junho a Dezembro de 2002 formou parte da Orquestra do Algarve, onde foi líder dos segundos violinos, e onde tocou como solista sob a direcção do Maestro Joji Hattori. Desde 2002 é artista convidada do Remix Ensemble – Casa da Música, e forma parte do ENSEMBLE DARCOS desde a sua criação. Paralelamente à sua actividade com o violino moderno, Reyes Gallardo toca também violino barroco, com o qual é líder dos segundos violinos na Orquestra Barroca da Casa da Música, e tem participado regularmente em concertos com os grupos Divino Sospiro, Ensemble Barroco do Chiado e Flores de Música.

Reyes Gallardo foi bolseira da Fundación Pedro Barrié de la Maza e da Diputación de A Coruña durante os anos de 1996 e 1997.





FILIPE QUARESMA
violoncelo

Iniciou os seus estudos musicais em violoncelo aos 12 anos com o Prof. Rogério Peixinho na EPABI. Frequentou Masterclasses com: Eliaz Arizcuren, Márcio Carneiro, Robert Cohen, Anssi Karttunnen, Colin Carr, Jian Wang e Zara Nelsova. Estuda com David Strange e Mats Lidström na Royal Academy of Music. Integrou a Orquestra de Jovens da União Europeia. Foi premiado em vários concursos: 1º prémio no concurso Jovens Músicos da RDP/1996 (solistas nível médio); 2º prémio/2001 (solistas nível superior); 1º prémio no concurso internacional Júlio Cardona/1997 (classe B). Em Londres obteve: Norah Mary Turner Trust Award, Sir Arthur Bliss Prize, Foundation Award, S&M Eyres Scholarship, Guilhermina Suggia Scholarship e Bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Como solista tocou com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Sinfónica Juvenil, Orquestra da Semana Internacional de Música do Luxemburgo, Remix Orquestra e Orquestra Barroca da Casa da Música. Em Set’02 foi convidado para tocar no Open Day House do Wigmore Hall em Londres. Tem sido músico convidado no Remix – Ensemble e Remix Orquestra. Tocou com a London Sinfonietta, Tokyo Ensemble, Orquestra da Cidade de Granada e Orquestra Sinfónica de Londres, e em 2003 esteve à experiência com a Orquestra Sinfónica da BBC. Durante a sua experiência orquestral teve oportunidade de trabalhar com Vladimir Askhenazy, Bernard Haitink, Sir Colin Davis, Mariss Jansons, Zubin Mehta, Krzysztof Penderecki, André Previn, Seiji Ozawa, Stefan Asbury, Peter Rundel, entre outros.

No âmbito da Música Antiga trabalhou com músicos como Enrico Onofri, Rinaldo Alessandrini, Jap ter Linden, Harry Christophers, Laurence Cummings, entre outros.

Esteve presente no 75º aniversário de Mistislav Rostropovich, integrando a Orquestra Sinfónica de Londres como músico convidado.

É violoncelista da CAMERATA SENZA MISURA e do DARCOS ENSEMBLE.

É primeiro violoncelo da Orquestra Barroca da Casa da Música, com qual em Fev’08 tocou a solo sob a direcção de Harry Christophers no Festival Guilhermina Suggia na Casa da Música.




.
HELDER MARQUES
piano

Diplomou-se com distinção na Robert–Schumann–Hochschule, Düsseldorf, tendo estudado com o pianista brasileiro Roberto Szidon.

Iniciou formação musical aos 7 anos em Torres Vedras onde estudou com Maria Christina Pimentel. Concluiu o Bacharelato em Piano pela Escola Superior de Música de Lisboa na classe do Professor Jorge Moyano. Bolseiro da Fundação Gulbenkian no ano lectivo de 1998/99, tendo trabalhado com Pietro De Maria.

Frequentou cursos de aperfeiçoamento orientados por Dimitri Bashkirov, Ralf Nattkemper, Dimitri Paperno, Pedro Burmester, Sequeira Costa e Richard MacMahon. No campo da música de câmara e, em particular, do Lied, trabalhou com os pianistas João Paulo Santos, Nuno Vieira de Almeida, Siegfried Mauser e Christian de Bruyn.

Colaborou com o Coro do Teatro Nacional São Carlos, OrchestrUtopica, ENSEMBLE DARCOS, Acarte, Teatro Aberto e Opera Plus, entre outros.

Tem-se apresentado em recitais a solo e de música de câmara em Portugal, bem como em França, Alemanha, Coreia do Sul e Japão.

Presentemente frequenta o Mestrado em Artes Musicais – Canto e Acompanhamento – da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

É professor acompanhador e professor de piano na Escola de Música Luís António Maldonado Rodrigues, Torres Vedras e no Instituto Gregoriano de Lisboa.




FAUSTO CORNEO
clarinete

Licenciou-se em clarinete no Instituto Musical A. Peri em Roma Emilia, em Itália. Obteve o mestrado no curso de clarinete e clarinete baixo solista, com nota máxima, no Conservatório de Roterdão. Teve como professores: G. Iuliano, G. Garbarino, G. Deplus, A. Klug, W. Boeykens e H. Bok, com o qual trabalhou como assistente. Orquestra Juvenil de Itália, Orquestra Sinfónica de Savona, Filarmónica das Beiras, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra do Algarve, Rotterdam Young Philarmonic e Orquestra Gulbenkian são algumas das formações com as quais tem trabalhado, sob a batuta de maestros como Riccardo Muti, Giuseppe Sinopoli, Emmanuel Krivine, Arie van Beek, Jurien Hempel, Cesário Costa, António Saiote. Actuou em salas como a Concertgebouw em Amesterdão, De Doelen em Roterdão, Ridotto alla Scalla em Milão, Culturgest, Centro Cultural de Belém e Gulbenkian em Lisboa, entre outras.

Entre os prémios que recebeu destacam-se o 1º Prémio no Concurso Cittá di Gessate em Itália, De Link Music Prijs na Holanda, Prieuré les Mesnil Saint Martin no IV Concurso Internacional de Cartagena. Nuno Côrte-Real, Gonçalo Lourenço, Buckhardt Soll, Marcella Pavia, Burton Cummings são alguns dos compositores que lhe dedicaram obras. No Jazz apresenta-se com diferentes formações e músicos entre os quais Carlos Barretto e Mário Delgado. Participou no Festival da Alta Estremadura, Silves e Caldas da Rainha.

Foi convidado como único representante da Itália para participar no 1º Intercâmbio Cultural entre Ásia e Europa, nas Filipinas. Realizou uma Masterclass em clarinete e clarinete baixo no Conservatório de Salamanca, a convite desta Instituição. Gravou com Dulce Pontes, Gaiteiros de Lisboa (como convidado especial) e com o grupo jazz Short' Movies Band (com Pedro Madaleno, Yuri Daniel e Bruno Pedroso) actuando em Portugal. Presentemente é professor de clarinete e música de câmara no Conservatório de Caldas da Rainha e professor de clarinete-jazz na Escola JB Jazz em Lisboa.
.